BR Distribuidora: saída da Petrobras deve elevar eficiência operacional, avalia UBS

Money Times

19/07/2019 – “Tornamo-nos mais positivos em relação ao caso da BR Distribuidora (BRDT3)”. A afirmação é do UBS em relatório sobre a companhia, no qual os analistas Luiz Carvalho e Gabriel Barra apresentam seus pareceres em relação à distribuidora.

De acordo com o banco, caso o plano da Petrobras (PETR3; PETR4) de reduzir a participação menor do que 50% na BR Distribuidora, a legislação em torno da companha será afrouxada, “provavelmente elevando sua eficiência”.

“Desta forma, a companhia deverá ser hábil para perseguir seu plano estratégico”, pondera o UBS, destacando os cortes de custos e a otimização da alocação de capital em ritmo mais acelerado do que à época do IPO.
Otimismo predomina

Em decorrência da possível saída da estatal, os analistas elevaram a recomendação para as ações, de neutro para compra. Além disso, o banco aumentou sua projeção de preço-alvo para as ações, de R$ 26,00 para R$ 30,00 – upside (potencial de valorização) de % em relação ao último fechamento.

O UBS apresenta os seguintes pontos para fundamentar o otimismo: (i) aprimoramento na governança corporativa pela mudança na legislação; (ii) novo management; (iii) redução mais rápida nos custos e (iv) crescimento nos volumes.