Petrobras é multada pelo Ibama em R$ 256 mil por vazamento em navio-sonda na Bacia de Santos

G1

15/05/2019 – A Petrobras foi multada em R$ 256 mil pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) por lançar ao mar 21,4 mil litros de fluido hidráulico do navio-sonda Norbe IX, localizado no Campo de Atapu, na Bacia de Santos. A empresa também recebeu mais seis sanções, que totalizam R$ 78 mil, por outros vazamentos de menor porte.

As autuações foram formalizadas na primeira quinzena de maio pela agência santista do Ibama e despachadas para Unidade de Operações de Exploração e Produção da Bacia de Santos (UO-BS). A Petrobras, por nota, declarou que cumpre as exigências legais em informar à autoridade ambiental os incidentes e que os monitora continuamente.

A maior multa, conforme informações oficiais, refere-se ao derramamento no mar de fluido hidráulico a base de etileno glicol (álcool, utilizado como anticongelante), durante vazamento ocorrido na sonda Norbe IX. “Não constam no processo informações sobre as providências emergenciais do acidente”, declarou o órgão ambiental.

As outras penalidades referem-se a derramamentos durante a atividade de extração, envolvendo óleos ou graxas, na plataforma de Mexilhão e nos navios-sonda West Tellus, Brava Star e West Orion, na Bacia de Santos, e nas plataformas P-56 e P-65, na Bacia de Campos. As multas, ainda segundo o Ibama, variam de R$ 8 mil a R$ 30 mil.

Por meio de nota, a Petrobras não informou se já vai pagar as sanções aplicadas. “A Petrobras informa que segue cumprindo todas as exigências legais e que monitora continuamente a concentração média de óleos e graxas na água descartada, disponibilizando esses dados ao órgão ambiental de acordo com a legislação vigente”, declarou.

Em março, a petrolífera foi multada R$ 100 mil por despejo irregular de água de produção do navio-plataforma FPSO Cidade de Saquarema, no Campo de Lula. Em abril, nova punição de R$ 100 mil por ilícito semelhante na plataforma de Merluza, localizada a 180 quilômetros de Praia Grande (SP). Até este mês, ambas não tinham sido pagas.