Petrobras planeja vender US$ 36,9 bilhões até 2023

O Globo

06/12/2018 – A Petrobras elevou sua meta de venda de ativos para US$ 26,9 bilhões (R$ 103,8 milhões) nos próximos cinco anos. A meta anterior era de US$ 21 bilhões no biênio 2017-2018, mas a empresa só conseguiu levantar US$ 8,3 bilhões até agora com a venda de negócios. A nova previsão consta do Plano de Negócios e Gestão 2019-2023, apresentado ontem pela estatal junto com o Plano Estratégico 2040. Ambos foram aprovados pelo Conselho de Administração da empresa.

O diretor financeiro da Petrobras, Rafael Grisolia, explicou que os ativos à venda são os mesmos do plano anterior, como a distribuidora Liquigás e a rede de gasodutos TAG, e uma fatia de suas refinarias.

O novo plano de negócios prevê investimentos de pouco mais de US$ 84 bilhões (R$ 324,2 bilhões) no período, conforme antecipado pelo GLOBO, o maior investimento da Petrobras desde o plano para o período 2015-2019, que foi de US $98,4 bilhões. A venda de ativos e ageração de caixa estimada em US $114,2 bilhões viabilizarão os investimentos, que, segundo a estatal, podem gerar 450 mil empregos no país em cinco anos.

Analistas consideraram positivo o novo plano, embora a tônica tenha sido de continuidade aos projetos em andamento diante da perspectiva de uma nova administração a partir de janeiro.

—O plano é uma atualização, com foco no aumento da produção e redução da dívida — destacou Pedro Galdi, da Mirae Corretora.

CADE ABRE INVESTIGAÇÃO

Ontem, o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) decidiu abrir um inquérito para apurar a concentração de 98% do mercado de refino nas mãos da Petrobras. Estudo da autarquia concluiu que a concorrência está limitada à importação de combustíveis e a empresas de pequeno porte no país. A estatal planeja vender participações em algumas delas, mas o Cade não concorda com o modelo.