Petrobras: venda de derivados cai 8%, a 1,933 mi de barris/dia

IstoÉ Dinheiro

11/08/2017 – As vendas de combustíveis pela Petrobras no mercado brasileiro atingiram 1,933 milhão de barris por dia no segundo trimestre deste ano, com recuo de 1% em relação aos 1,951 milhão de barris diários negociados nos três meses imediatamente anteriores. Na comparação com os 2,109 milhões de barris diários do mesmo período do ano passado, houve queda 8%.

A comercialização de diesel, principal mercado para estatal em termos de volume, somou 721 mil barris diários, com aumento de 3% ante o primeiro trimestre de 2017 e recuo de 11,1% em relação a igual intervalo de 2016. O derivado é consumido em grande escala por caminhões, atividade da economia que depende do desempenho do Produto Interno Bruto (PIB).

Já as vendas de gasolina alcançaram 533 mil barris diários, baixa de 1% ante o trimestre imediatamente anterior e de 1,5% em relação ao mesmo intervalo de 2016.

Incluindo na conta gás natural, álcoois, nitrogenados renováveis e outros, o volume total comercializado pela Petrobras no mercado brasileiro chegou a 2,395 milhões de barris por dia, 1% superior aos primeiros três meses deste ano e 5,6% abaixo de igual período do ano passado.

O balanço mostrou ainda que o volume total vendido no mercado externo no segundo trimestre deste ano totalizou 896 mil barris diários, ante 1,024 milhão de barris diários no primeiro trimestre e 1,020 milhão de barris/dia no segundo trimestre de 2016.

Com isso, as vendas totais da Petrobras entre abril e junho ficaram em 3,291 milhões de barris por dia, 3% menos que os 3,393 milhões de barris diários negociados nos três meses imediatamente anteriores e 7,5% abaixo dos 3,556 milhões de barris comercializados no mesmo trimestre de 2016.

Preço de derivados

O preço de derivados básicos comercializados pela Petrobras no mercado interno no segundo trimestre foi de R$ 219,58 o barril, ante R$ 228,95 o barril um ano antes e R$ 227,62 o barril no primeiro trimestre de 2017.

Já o preço de venda do petróleo praticado no Brasil foi de US$ 47,25 o barril, ante US$ 39,86 um ano antes e US$ 50,70 no primeiro trimestre de 2017.