Petróleo fecha sem direção definida após relatório da Opep

Exame.com

14/11/2017 – Os contratos futuros do petróleo fecharam sem direção definida na segunda-feira (13), após a divulgação de um relatório da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), que mostrou recuo na produção em outubro.

Na Nymex, em Nova York, o petróleo WTI para dezembro subiu US$ 0,02 (0,03%) e fechou a US$ 56,76 por barril. Já na ICE, em Londres, o Brent para janeiro caiu US$ 0,36 (0,56%) e fechou a US$ 63,16 por barril.

A produção de petróleo bruto dos membros da Opep caiu 0,46%, para 32,59 milhões de barris de petróleo por dia, em outubro, na comparação com o mês anterior.

O movimento foi conduzido pela redução na produção de países como Iraque, Nigéria e Irã, segundo o cartel.

A Opep também elevou suas estimativas para o crescimento da demanda global por petróleo para este ano e o próximo.

O grupo agora espera que o crescimento da demanda suba em 1,53 milhão de barris por dia em 2017 e para 1,51 milhão de barris por dia em 2018.

Os preços de petróleo vêm flutuando perto dos maiores níveis em dois anos, desde a semana passada, após a Arábia Saudita anunciar a detenção de centenas de indivíduos acusados de corrupção, enquanto aumenta a tensão entre o reino e o Irã, seu rival de longa data.

Mas desde um salto na semana passada, os preços vêm sendo negociados numa faixa relativamente estreita. “Os preços continuarão neste limbo, aguardando novidades da Arábia Saudita ou da Nigéria”, disseram analistas da TAC Energy, nesta segunda-feira.

Alguns analistas acham, no entanto, que a alta nos preços do petróleo é insustentável por causa do aumento da produção em países que não fazem parte da Opep.

Dados do Departamento de Energia (DoE) dos Estados Unidos mostraram que a produção de petróleo proveniente das sete maiores áreas de xisto do país deve subir em dezembro para o nível de 6,174 milhões de barris por dia.

Somente na Bacia de Permian, que cobre as áreas do oeste do Texas e do sudeste do Novo México, o crescimento será de 58 mil barris por dia. Esta é a principal região exploradora de xisto nos EUA.

Fonte: Estadão Conteúdo