Produção industrial brasileira cresceu apenas 1,1% em 2018

O Globo

02/02/2019 – A produção industrial encerrou 2018 com expansão de 1,1%, o segundo ano seguido de crescimento, divulgou ontem o IBGE. Em 2017, o setor havia crescido 2,5%, o que mostra que a indústria, embora em patamar positivo, desacelerou no último ano. Segundo especialistas, entre os fatores que contribuíram para o resultado estão acrise na Argentina, a greve dos caminhoneiro se a incerteza política. — Houve queda em maio por causa da greve dos caminhoneiros. Mesmo com uma recuperação em junho, tivemos redução nos meses seguintes. A segunda metade do ano foi marcada por recuo — explica André Macedo, gerente de Indústria do IBGE. A produção automotiva foi a que mais contribuiu para o resultado positivo no ano, com alta de 12,6%. Também ajudaram a metalurgia, com avanço de 4%, e a celulose, co malta de 4,9%. Puxando para baixo, pesaram os produtos alimentícios, com queda 5,1%. Segundo o gerente de Indústria do IBGE, além do impacto da greve dos caminhoneiros, empresários e famílias se retraíram, esperando a definição do quadro eleitoral: —A crise argentina, que afetou nossas exportações de automóveis, e o mercado de trabalho ainda fraco, com um contingente grande de desempregados, explicam o arrefecimento no segundo semestre. A expectativa para a indústria em 2019, contudo, segue positiva. Segundo o mais recente Boletim Focus, do Banco Central, a produção deve crescer 3,04% este ano. Analistas alertam, no entanto, para a importância do avanço das reformas, como a da Previdência e a tributária.

—Poderia facilitar a arrecadação e reduzir a sonegação, além de tirar um peso das costas das empresas — diz Rafael Cagnin, economista do Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial (Iedi). Segundo o economista, o crescimento industrial deste ano depende de um fator externo— a economia no exterior—eu m interno, queéa definição mais detalhada da agenda político-econômica. —A agenda tem de ficar clara. Uma melhor comunicação reduz incertezas e facilita o planejamento —diz Cagnin.