Carta ao Presidente

Um ano de otimismo

cartadopresidente_rel2010

Cada novo empreendimento, cada nova conquista tem sempre um gosto especial para todos aqueles que estão envolvidos, direta ou indiretamente, seja colocando a mão na massa para a realização, ajudando na estruturação da ideia ou simplesmente criando as condições necessárias para que o projeto ganhe vida. A segunda edição do Relatório Anual da Revenda de Combustíveis 2010 é uma dessas tarefas cumpridas que nos proporciona imensa satisfação.

Primeiramente, porque se trata da edição comemorativa do Jubileu de Ouro da Fecombustíveis e, por isso mesmo, traz um capítulo especial contando a história da entidade nesse meio século de existência. É, sem dúvida, uma oportunidade única para revendedores, pesquisadores, políticos, autoridades, jornalistas e curiosos em geral conhecerem um pouco mais da dura batalha dos revendedores para serem reconhecidos como empresários e poderem desempenhar com ética e liberdade uma atividade que é fundamental para o dia a dia da população, mas que praticamente desapareceu em alguns países. A história da Fecombustíveis se confunde com a da própria revenda, repleta de lutas e conquistas.

Outra novidade no Relatório Anual da Revenda de Combustíveis 2010 é um breve panorama da atividade em alguns países da América Latina, que ainda sofrem com controles de preços e, em alguns casos, precisam disputar o mesmo cliente com suas distribuidoras. Graficamente, o Relatório também traz mudanças, como inclusão de figuras ilustrativas e numeração de tabelas, tornando-o mais didático para quem busca a publicação com fins acadêmicos.

Ao compilar e analisar os principais fatos e números para o setor em 2009, o Relatório mostra que tivemos um ano bastante peculiar e movimentado. O álcool passou a se chamar etanol, os preços despencaram nas usinas e nas bombas, as irregularidades se espalharam pelo mercado e o revendedor, que está na ponta da cadeia, precisou se adequar a esse mercado em transformação, sem tirar os olhos de suas contas, já que a economia saiu do pessimismo pré-crise para um otimismo crescente a partir de meados do ano. Segundo nossas estimativas, as irregularidades do etanol custaram cerca de R$ 1 bilhão em elisão fiscal somente no ano passado, sem contabilizar os prejuízos indiretos para todos aqueles que trabalham de forma ética e leal no mercado. O problema fica para ser resolvido este ano, assim como a questão dos estoques reguladores do etanol, a oferta de gás natural para uso veicular, os ajustes que precisam ser feitos no biodiesel, a regulamentação do setor de cartões de pagamento, entre outros tópicos.

Entretanto, ao contrário do ano passado, temos a nosso favor boas perspectivas econômicas. As estimativas apontam para crescimento do país acima dos 5% neste ano e todos os indicadores (vendas de combustíveis, de veículos, de papel ondulado etc) confirmam o forte desempenho da economia. Para se ter uma ideia, a grande preocupação das autoridades neste momento diz respeito aos riscos de superaquecimento da economia, em meio à capacidade ociosa se esgotando nas indústrias e à inflação dando sinais de retomada.

Por tudo isso, nossas expectativas não poderiam ser melhores para o segmento de combustíveis, que deve acompanhar ou ficar um pouco acima do desempenho da economia.

O Relatório Anual da Revenda de Combustíveis 2010 é uma excelente ferramenta para aqueles que já estão, querem entrar ou simplesmente conhecer um pouco mais desse mercado, proporcionando uma visão geral de como se comportaram em 2009 os principais combustíveis e quais problemas ainda precisam ser resolvidos. A publicação é também nossa prestação de contas com o revendedor e a sociedade como um todo, disponibilizando um importante conjunto analítico de informações.

Contamos com sua colaboração, com críticas e sugestões, para que ano após ano entreguemos ao mercado um Relatório cada vez mais completo.

Uma boa leitura e um excelente ano!