Canal da Revenda

A Fecombustíveis recomenda atenção às notícias falsas que circulam na internet e nas redes sociais. Desde a semana passada, uma mensagem infundada, divulgada nas redes sociais e WhatsApp, tem causado polêmica nos postos do país. A mensagem diz que se o consumidor exigir a nota fiscal na hora do abastecimento, os postos serão “forçados” a diminuir os preços dos combustíveis. A Fecombustíveis esclarece que esta informação é FALSA.
Os tributos estaduais e federais (ICMS, Cide e PIS/Cofins) que incidem sobre a gasolina e o diesel são recolhidos antecipadamente pela Petrobras. No caso do etanol, os impostos são divididos: parte do recolhimento fica com as usinas e parte com as distribuidoras. Em função disso, quando os combustíveis chegam nos postos, os impostos já vêm embutidos na composição de preço.
O cupom fiscal (ou nota fiscal eletrônica do modelo 1) pode e deve ser solicitado pelo consumidor, porém não fará com que os preços dos combustíveis caiam. Isso é uma MENTIRA.
O cupom fiscal é o comprovante para o consumidor de que todos os tributos já foram recolhidos antecipadamente, evitando que ele pague por um combustível ilegal, que tenha sido adquirido por um agente que não recolheu os impostos.
Esclarecemos também que não há diferença entre cupom fiscal e a nota fiscal eletrônica do modelo 1, que poderá ser enviada por e-mail.

Não acredite em tudo o que lê. Antes de tomar uma atitude, informe-se!