Notícias

Com 2ª onda da covid, vendas de carros têm queda de 7,5% em abril

As vendas de veículos novos no País caíram 7,5% na passagem de março para abril, período marcado por restrições no funcionamento das concessionárias em alguns dos maiores mercados do País em razão da segunda onda da pandemia. No total, 175,1 mil veículos foram licenciados no mês passado, entre carros de passeio, comerciais leves, caminhões e ônibus.

Na comparação com abril de 2020, quando o mercado foi reduzido a menos de 56 mil veículos em meio à paralisação das atividades das montadoras, as vendas do mês passado mais do que triplicaram (alta de 214%).

As concessionárias iniciaram abril com portas fechadas em Estados como São Paulo, o maior mercado do Brasil, em razão do agravamento da pandemia. Na segunda quinzena do mês, as lojas foram reabertas, mas em horário restrito a oito horas por dia.

As vendas também seguem comprometidas pela falta de alguns modelos no mercado, e fila de espera nas locadoras, um dos maiores consumidores de automóveis, em decorrência da irregularidade no abastecimento de peças nas linhas de montagem. O risco de contaminação, dada a piora da crise sanitária, também motivou paradas de linhas na maioria das montadoras entre o fim de março e começo de abril.

Frente à base de comparação fraca de igual período de 2020, o mercado mostra desempenho positivo no acumulado do quadrimestre. As vendas estão 14,5% acima do volume de igual período do ano passado, com 703 mil unidades vendidas.

Só o segmento de automóveis e comerciais leves cresceu 13,3% no ano, somando 663,9 mil unidades. No ranking de marcas, a Fiat se mantém na liderança, com 20,9% das vendas, seguida por Volkswagen (17,3%) e General Motors (14,4%).

Líder nos últimos anos, a GM tem visto sua fatia de mercado despencar porque mantém a fábrica de Gravataí (RS) – onde o Onix é produzido – fechada desde março, por falta de componentes, especialmente de semicondutores, problema que tem afetado a produção mundial de automóveis.

A unidade da GM de São José dos Campos (SP), que estava operando com metade da capacidade, voltou ao normal em meados do mês passado. A unidades produz a picape S10 e o utilitário Trailblazer.

Os preferidos. Na disputa entre modelos, a picape Strada, da Fiat, segue como o veículo mais vendido do País, com 41,4 mil unidades acumuladas no período de janeiro a abril. No segundo lugar da lista está o Chevrolet Onix (35,1 mil unidades), seguido por Hyundai HB20 (30,5 mil), Jeep Renegade (25,7 mil) e Volkswagen Gol (25,4 mil).

Os números obtidos no mercado são preliminares e sujeitos a leves ajustes em relação aos dados oficiais a serem divulgados hoje pela Fenabrave (entidade que representa as concessionárias), e na sexta-feira pela Anfavea (associação das montadoras).

A Anfavea iniciou 2021 com previsão de crescimento de 15% no mercado total de veículos neste ano, mas, se a situação sanitária do País e a falta de componentes se prolongarem é possível que o número seja revisto ao longo do ano.

Autor/Veículo: O Estado de S.Paulo
Compartilhe: