Notícias

Empresas recorrem a escolta armada para combustíveis na Amazônia

O diesel S10 subiu 10% na semana passada. Na próxima, imposto federal volta a subir, em uma etapa da reoneração dos tributos federais.

O ministro Alexandre Silveira (PSD) e o diretor-geral do ONS, Luiz Carlos Ciocchi, estão previstos em audiência na Câmara para prestar esclarecimentos sobre o apagão. O ONS afirmou que usinas tiveram um “desempenho abaixo do esperado” ao controlar a tensão da rede, após a falha em linha da Eletrobras.

O diretor-geral da Aneel, Sandoval Feitosa, defendeu uma ampla reforma na Conta de Desenvolvimento Energética (CDE), que banca subsídios no setor elétrico.

Nos EUA, Equinor comprou 25% de participação no Bayou Bend, joint venture de captura e armazenamento de carbono.

Roubo de combustíveis. Em 18 meses, o roubo de combustíveis em embarcações na região amazônica atingiu 4 milhões de litros [CNN], segundo dados do Instituto Combustível Legal (ICL) e do Instituto Brasileiro de Petróleo e Gás (IBP). O ICL defende mudanças legais para tipificar e endurecer o combate a crimes envolvendo combustíveis.

– Segundo o balanço da entidade, foram registrados 18 tentativas de roubo dos combustíveis desde o ano passado e empresas do setor e combustíveis precisam recorrer à contratação de segurança privada, com escolta armada.

Autor/Veículo: EPBR
Compartilhe: