Notícias

Transportadores de combustíveis em Minas Gerais planejam paralisação

O cenário em Minas Gerais está tenso à medida que transportadores de combustíveis, popularmente conhecidos como tanqueiros, sinalizam uma iminente paralisação. A causa principal desse movimento é a decisão controversa do governo liderado por Romeu Zema de antecipar a cobrança do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) para o mês de janeiro.

Antecipação do IPVA em Minas Gerais gera tensões entre tanqueiros e Governo

A resolução 5.737, que formalizou essa mudança no calendário fiscal, foi publicada oficialmente em 4 de dezembro, desencadeando uma onda de descontentamento em diversos setores. A Fecomércio, por exemplo, expressou sua insatisfação encaminhando um ofício ao governo, solicitando o adiamento do prazo de pagamento do IPVA para março.

O Sinditanque/MG emerge como o líder dessa mobilização, enquanto nas redes sociais circula uma convocação para uma paralisação nacional dos caminhoneiros, marcada para o dia 14. Até o momento, não há indícios de uma coordenação formal entre os membros da categoria, apesar de convocações semelhantes antes do dia 8 de janeiro não terem obtido adesão.

A solidariedade ao movimento dos transportadores rodoviários de cargas é manifestada pelo Sindtanque-MG, que destaca sua oposição a tarifas e tributos considerados excessivos. O sindicato tentou negociar com o Governo de Minas o adiamento da taxação do IPVA, mas as tentativas de diálogo não foram bem-sucedidas, levando o sindicato a ameaçar com uma paralisação.

Confira a nota emitida pelo Sinditanque/MG

“Estamos diante de um movimento nacional dos transportadores, que enfrentam verdadeiras batalhas para manterem-se em operação. Apostamos na negociação e no diálogo com as autoridades na busca de soluções para as justas reivindicações do setor. No entanto, diante da intransigência dos governos estaduais e federal, estaremos unidos, firmes e decididos juntamente com os transportadores em caso de paralisações e greves”, disse o presidente da entidade, Irani Gomes.

Sindtanque-MG ameaça paralisação em resposta ao Governo

Para o Sindtanque-MG, a cobrança antecipada do IPVA em janeiro representa um risco de endividamento para os profissionais do setor, especialmente considerando que janeiro é um mês com despesas atípicas. Irani Gomes, presidente do sindicato, destaca que as taxas do IPVA estão desproporcionalmente altas em relação às condições financeiras dos trabalhadores, tornando o setor altamente instável.

O presidente conclui sua declaração afirmando: “Chega de tarifas e tributos abusivos, juros exploratórios e combustíveis a preços exorbitantes. Melhorias nas condições de trabalho para os transportadores rodoviários de cargas do Brasil já! Se necessário, pararemos o Brasil!” O desdobramento dessa situação permanece incerto, com as partes envolvidas buscando soluções para evitar uma paralisação que poderia ter impactos significativos no transporte de combustíveis em Minas Gerais.

É válido ressaltar que, se os tanqueiros decidirem entrar em greve, o Brasil enfrentará consequências significativas, especialmente no que diz respeito ao abastecimento de combustíveis. Essa categoria desempenha um papel crucial na logística nacional, sendo responsável pelo transporte de grande parte dos combustíveis consumidos no país.

Uma greve dos tanqueiros poderia resultar em escassez de gasolina, diesel e outros derivados de petróleo em postos de combustíveis, impactando diretamente a mobilidade da população e afetando diversos setores da economia. Além disso, a paralisação poderia gerar um aumento nos preços dos combustíveis, prejudicando ainda mais o bolso dos consumidores.

Conheça um pouco mais sobre o IPVA e sua importância

IPVA significa Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores. É um imposto brasileiro cobrado anualmente sobre a propriedade de veículos automotores, como carros, motos, caminhões, entre outros. O valor do IPVA varia de acordo com o estado brasileiro e o tipo de veículo, calculado com base no valor venal do automóvel.

Esse imposto é uma das fontes de receita dos governos estaduais e é utilizado para financiar diversos serviços públicos, como educação, saúde, segurança, entre outros. O não pagamento do IPVA pode acarretar em penalidades, como multas e apreensão do veículo. Cada estado brasileiro possui suas próprias regras e prazos para o pagamento do IPVA.

Autor/Veículo: PetroSolGas
Compartilhe: